Vila Leopoldina

Qualidade de vida e sofisticação!

Parque Villa Lobos

Uma das melhores opções de lazer ao ar livre da cidade.

Navegue pelo nosso site e conheça os melhores imóveis da Vila Leopoldina

Clique no nome da condominio e visualize nossos imóveis disponíveis!














 Apartamentos na Vila Leopoldina - é fruto de parcerias entre excelentes profissionais do ramo imobiliário.

“Garantir a prestação de serviços imobiliários com qualidade, eficiência e segurança, de forma a atender aos anseios da sociedade com competência e profissionalismo e constituir-se em um instrumento efetivo para o bem-estar dos clientes assegurando bons negócios aos investidores do setor imobiliário paulista”.


A Vila Leopoldina

Vila Leopoldina é um distrito situado na subprefeitura da Lapa, região oeste da cidade brasileira de São Paulo, que abriga o CEAGESP, grande entreposto hortifrutigranjeiro que existe na cidade de São Paulo. É o único distrito do Centro Expandido a fazer divisa com outro município.
Originou-se como uma extensão da Lapa e tinha, no início, características de região popular. O distrito é servido pelos trens das linha 8 e linha 9 da CPTM, contando com duas estações: Imperatriz Leopoldina e Domingos de Moraes (linha 8) e Ceasa (linha 9).
Uma operação urbana coordenada pela Prefeitura de São Paulo está promovendo um processo de verticalização e adensamento do distrito, originalmente ocupado por galpões industriais, no intuito de ocupar a região e reduzir a degradação urbana. O bairro tem experimentado um acelerado processo de expansão imobiliária, com a construção de novos e modernos edifícios de apartamentos. Como consequência desse processo, a região no entorno da rua Carlos Weber vem sendo chamada de "nova Moema", região que sofreu processo semelhante na década de 1970.








Histórico

A história do parque Villa-Lobos é um pouco diferente da de outros parques. Antes de 1989, a área onde está hoje destoava muito dos arredores da região de Alto de Pinheiros. Na sua porção mais a oeste havia um depósito de lixo da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais do Estado de São Paulo (CEAGESP), onde cerca de oitenta famílias recolhiam alimentos e embalagens. Na parte leste, vizinha ao atual Shopping Villa-Lobos, era depositado material dragado do Rio Pinheiros e na porção central o antigo proprietário permitia o depósito de entulho da construção civil.Em 1987, ano de comemoração do centenário de nascimento de Heitor Villa-Lobos, foram apresentados os primeiros estudos visando à implantação de um parque temático contemporâneo na área. Os Decretos Estaduais 28.335 e 28.336/88 destinavam os 732 mil m² à implantação de um “parque de lazer, cultura e esporte”. Os moradores da região receberam bem a proposta, principalmente por eliminar os problemas causados pelos usos que na época a área apresentava.
Em 1989, o parque Villa-Lobos começou a ser implantado pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica – DAEE. Foram removidas as famílias que viviam no local, retirados 500 mil m³ de entulho com mais de 1 metro de diâmetro, e movimentados 2 milhões de m³ de entulho e terra para acerto das elevações existentes. O córrego Boaçava, que passava pela área, foi canalizado.

Primeiro projeto

O projeto original, elaborado pelo Arquiteto Décio Tozzi, previa uma “cidade da música”. O local teria viveiro para pássaros, ilha musical, passeio Uirapuru, auditórios, Teatro de Ópera e Centro de Convivência Musical. O projeto também previa a construção de um prédio de exposições e edifícios para Escolas de Balé e Música, com salas de aulas para oficinas e apoio, inclusive para fabricar e consertar instrumentos.
Em janeiro de 2004, a administração do parque foi transferida para a Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo (SMA) pelo Decreto Estadual 48.441. No mesmo ano, foi iniciada a execução de intervenções emergenciais para solucionar problemas de manutenção existentes no local. Também começou a elaboração de projetos executivos para a área de expansão do parque, adequados à legislação atual e ao terreno, com base no projeto original. A Resolução SMA 20, de 7 de março de 2004, criou o Conselho de Orientação do Parque Villa-Lobos, que assegura o gerenciamento participativo e integrado da sociedade civil.

Arborização do Parque

No período de 2004 a 2008, foram plantadas 12 mil mudas em uma área de 120 mil m2, entre as quais 1.200 ipês de oito espécies, 110 roxos e 550 amarelos, árvore-símbolo de São Paulo. O projeto paisagístico do parque é do Engenheiro Agrônomo e paisagista Rodolfo Geiser, mas foi posteriormente adequado para o plantio realizado entre 2004 e 2006 de maneira a atender às Resoluções da SMA sobre a diversidade de espécies. Esta adequação foi possível principalmente devido a maior oferta de mudas de espécies nativas, com alta diversidade e com porte adequado para as situações de um parque em pleno uso. Sendo assim, o parque foi entregue concluído em 2006 com aproximadamente 24 mil árvores plantadas em covas de mil litros de substrato, após a remoção de entulho e troca de solo.

O Parque hoje

Localizado no bairro de Alto dos Pinheiros, na região Oeste da Capital, o parque Villa-Lobos é uma das melhores opções de lazer ao ar livre da cidade. O parque, que abrange uma área de 732 mil m², possui ciclovia, quadras, campos de futebol, “playground” e bosque com espécies de Mata Atlântica. A área de lazer inclui ainda aparelhos para ginástica, pista de cooper, tabelas de “street basketball” e um anfiteatro aberto com 750 lugares, sanitários adaptados para deficientes físicos e lanchonete. Estima-se que durante a semana cerca de 5 mil pessoas passem a cada dia pelo Parque. Aos finais de semana recebe cerca de 20 mil visitantes e aos feriados 30 mil.

Acessibilidade

O Parque Villa-Lobos foi um dos primeiros da cidade a ser adequado à acessibilidade de pessoas com necessidades especiais. A grande área plana e os caminhos praticamente nivelados tornam mais fácil o deslocamento de pessoas. Alguns dos brinquedos de madeira nos parquinhos também foram elaborados para garantir a acessibilidade, como uma caixa de areia e uma casinha na montanha, que permitem acesso por pessoas em cadeiras de rodas. O Villa-Lobos também conta com um telefone público para os deficientes auditivos.

Confira as principais melhorias realizadas:

Novidades no Parque

Vai pela sombra
Com a intenção de permitir que os visitantes do parque Villa-Lobos possam aproveitar mais a sombra e outros benefícios da vegetação, foi criada a trilha “Vai pela Sombra”. A trilha é feita de pedriscos e percorre os principais bosques do parque. Uma boa opção para quem faz caminhada ou corre, pois reduz o impacto nas articulações.



Nova sede da Polícia Militar
A 1ª Cia. do 23º Batalhão da Polícia Militar estava, desde 1999, no parque Villa-Lobos em local provisório, nas instalações do antigo canteiro de obras. A atual gestão da SMA viabilizou uma nova sede permanente para o efetivo de 160 homens da Polícia Militar. O espaço contém sala de atendimento, minianfiteatro, cozinha e vestiário.



Circuito das Árvores
Os visitantes do parque Villa-Lobos têm o privilégio de andar próximo aos pássaros ao conhecer o “Circuito das Árvores”. A passarela elevada, construída com madeira de reflorestamento, chega até 3,5 metros de altura e 120 metros de extensão. Espécies de árvores e aves são identificadas ao longo do caminho, que possui acesso para portadores de mobilidade reduzida.



Nova sede da administração do Parque
A mais nova sede administrativa do Villa-Lobos fica no espaço próximo à lanchonete, perto da entrada que dá acesso às quadras de tênis. Com 770 m², a administração possui depósito, oficina, cozinha, refeitório e vestiário para funcionários do parque.



Orquidário Ruth Cardoso
Os visitantes do parque Villa-Lobos poderão acompanhar de perto as belezas das orquídeas com a inauguração do Orquidário Ruth Cardoso, que leva o nome da antropóloga como uma homenagem à ex-primeira dama.



Nova Sinalização
A identidade visual do Villa-Lobos será renovada e ampliada para informar suas novidades e melhorar e facilitar a localização dos pontos de referência do parque.



Ouvillas
Um espaço agradável, ao ar livre, e com música à vontade. Essa é a idéia por trás do “Ouvillas”, área do parque onde as pessoas poderão sentar e relaxar em taludes, bancos e espreguiçadeiras ao som das obras de Heitor Villa-Lobos, compositor brasileiro que dá nome ao parque.

Novo Acesso
Foi inaugurada uma nova entrada para pedestres pela Av. Arruda Botelho. Agora são quatro portarias. A nova entrada facilita o acesso do público e colabora para que a circunvizinhança possa abraçar a atitude sustentável de vir ao parque a pé.

Próximas Realizações

Centro de Referência em Educação Ambiental (CEREA)
A Educação Ambiental pode ser considerada prioridade no Villa-Lobos. Além das atividades já desenvolvidas pelo parque, ele terá também um Centro de Referência em Educação Ambiental – CEREA. Livros, revistas e DVDs sobre meio ambiente estarão disponíveis, além de palestras, oficinas e cursos ministrados por especialistas.

Centro de Referência em Educação Ambiental (CEREA)


Ficheiro:Villallobs.JPG







VivaReal - Portal Imobiliário logo        Classificados Grátis Brasil